Cimento

A CSN iniciou a produção de cimento em 2009 e hoje está entre as líderes de vendas no Estado do Rio de Janeiro. Em 2015, a nova fábrica de cimentos localizada em Arcos (MG) começou a operar, elevando a capacidade instalada da companhia para 4,3 milhões de toneladas.

A combinação da escória de alto forno, resultante do processo siderúrgico na Usina Presidente Vargas, e do clínquer, produzido junto à mina de calcário em Arcos, transformaram a CSN em um dos mais competitivos players de cimento do país. A sinergia entre os negócios e a logística integrada das fábricas e dos centros de distribuição estrategicamente localizados permitem oferecer um atendimento diferenciado ao mercado consumidor.

Mas queremos ir mais longe. Novos projetos em outras regiões do país deverão proporcionar aumento de capacidade e ampliação do portfólio atual de cimentos (CPII E 32, CPII F-32, CPIII 40 RS, CPII E-40)




Fluxo de produção - Cimento


Extração da matéria-prima

A mina de calcário localizada em Arcos (MG) é responsável pelo suprimento de calcário não siderúrgico para produção do clínquer.

Trituração, moagem e homogeneização

O calcário é misturado à argila e o composto é reduzido a partículas bastante pequenas para obtenção da "farinha de cru".

Clinquerização

Na planta de Arcos (MG), a farinha de cru é inserida em um sistema de pré-aquecimento para poupar energia. Em seguida é levada ao forno rotativo a 1450ºC para produção do clínquer.

Moagem

O clínquer é moído com adições de escória de alto forno siderúrgico e outros componentes (gesso, calcário ou pozolana, conforme o tipo de cimento Portland).

Estocagem

O cimento CSN é armazenado temporariamente em silos.

Ensacamento

A última etapa do processo de produção do cimento consiste no ensacamento para posterior distribuição.

Última Atualização em 30 de Outubro de 2017

Voltar Topo